As questões emocionais que sabotam seus hábitos alimentares

Depois das suas refeições você precisa afrouxar o seu cinto? E seus amigos magros, fazem o mesmo? O interessante é que pessoas magras não necessariamente estão comendo coisas diferentes mas, em geral, sabem quando comer e quando parar. Prestam mais atenção aos sinais internos de fome e saciedade. Venho falando sobre isso na série de vídeos no YouTube.

Prestar atenção às sensações corporais é parte fundamental do comer consciente. Estar no próprio corpo significa estar no momento presente. E estar no momento presente contribui para apreciarmos tudo o que temos. Inclusive nosso físico. Mas muita gente tem essa relação complicada com o próprio corpo. Comparam-se com os outros, ligam para o que todo mundo vai pensar e viram seus maiores críticos, julgando a estética sem parar, atribuindo ao corpo nomes (feio, nojento, desajeitado, fraco...).

Mas houve um tempo em que não foi assim. Em que você não pensava no corpo, não o julgava. Era livre para viver e aproveitar o dia. O corpo era um só e não uma série de pedaços que precisava ser o tempo todo analisada, torcida, moldada, alterada. 

Práticas que permitem você estar de volta ao corpo de forma relaxada, descontraída, fazem parte do processo de cura para aqueles que punem o corpo. Em meu curso sobre a alimentação consciente ensino técnicas como a "varredura do corpo" (também chamada escaneo corporal), uma meditação para voltar ao presente, ao corpo, sem julgamentos. Assim, diminuirão as chances de você maltratar seu corpo com julgamentos, dietas doidas ou restrições insustentáveis a longo prazo.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!